segunda-feira, 2 de março de 2015

Há um povo a morrer nas listas de espera- Nilson Barcelli(Bem actual e a merecer a nossa atenção)

Nas insónias,
contam-se os carneiros que saltam a sebe
sem jamais ter um rebanho do lado de cá.
No sono,
a vida é distorcida por sonhos tão esquisitos
que, por vezes, acordamos cobertos de suores.
Mas, bem pior,
é o que vemos de dia:
na sua noite de anos feita de angústias,
a sofrer de insónias e de sonhos esquisitos,
há um povo a morrer nas listas de espera,
pacificamente alinhado
por ordem inversa da sua riqueza.

Poema: Nilson Barcelli - Fevereiro 2015


Podem visitar o seu blogue, se o entenderem:

http://nilsonbarcellipoesia.blogspot.pt/
 




 





5 comentários:

The Perfect Stranger disse...

assim é...
triste

Cidália Ferreira disse...

Gostei do texto.
Vou visitar

Semana feliz
Beijos
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Magia da Inês disse...

⋰˚هჱܓ
Total desencanto com a vida!...
Também me sinto assim.
Beijinhos e tudo de bom, amiga!
Resta não perdermos a esperança.
ه°·✿

Elvira Carvalho disse...

Um excelente poema, que tive oportunidade de comentar ontem no blogue do Nilson.
Um abraço e uma boa semana

Graça Pires disse...

Nilson Barcelli é um poeta que muito aprecio...
Beijo.