segunda-feira, 30 de março de 2015

Da m/amiga FLORINDA DIAS (PASSO A PALAVRA)


Se quero passar a palavra
Passo-a a quem a lê
Passo-a no bom sentido...
Do bem, na Paz,
Do que... O meu olhar vê

Se quero passar a palavra
De um céu infinito
De um jardim, feito flor
De alguém que só quer semear
As palavras declamadas... Tecidas, d'Amor
Se quero passar a palavra
A nada vos obrigo
A nada vos castigo
Ao escrever!
A minha alma, deixo transparecer
Se quero passar a palavra
Em blasfêmia, não a digo
Isso... É o tal equívoco
Quando alguém... Delas
Tão bem sabem fazer... O perigo
Se quero passar a palavra
Na boa-Fé a passo... A escrevo, a digo
Mesmo que em bitáculas,
em troca as receba:
Eu só queria mesmo... Ser um ombro amigo
Escrever, ser de alma, dar a mão
É um ato digno,
Daquela, que transporta o Amor
Que carrega no coração
...
A mais, não o obrigo.
Florinda Dias

5 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Gostei bastante, amiga Irene. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda semana.

✿ chica disse...

Mais uma maravilhosa poesia aqui! Linda semana,beijos, tudo de bom,chica

Cidália Ferreira disse...

Muito bonito!!

beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Olinda Melo disse...


O valor da Palavras, excelentemente descrito neste poema.
Cara Irene, obrigada pelos seus votos que retribuo desejando-lhe uma Santa Páscoa.

Bjs

Olinda

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Agradeço ter trazido aqui tão boa palavra que fortalece, renova e educa.
As boas palavras devem ser ditas para que sejam escutadas e acolhidas.
Ao invés devemos desprezar e esquecer as más palavras que nos destroem e sujam o ambiente geral.