sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

A ESPERA - Célia Laborne Tavares

pintura de Edgar Dogas


Enquanto te espero,
os ventos gemem na distância
e, em loucos rodopios passam,
na dança infinita dos círculos.
E a poeira gira,
giram as folhas
e o solo
e o céu.
Enquanto te espero,
o pensamento é dardo, é círio,
é peixe e luz...
E eu me perco e me encontro
nos portos de tua vinda.

Enquanto te espero,
não suporto senão tua lembrança
- rota de saudade, sonho e vida –
e tuas mãos

guiando-me ao infinito.

3 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Gostei.
Um abraço e bom fim de semana

Cidália Ferreira disse...

Maravilhoso!

Beijo, bom fim de semana

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Santa Cruz disse...

Irene lindo gostei muito de ler.
Beijos
Santa Cruz