terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Comoveu-me mesmo muito

Torey Hayden nasceu em 1951 em Livingston, Montana, nos Estados Unidos. Apesar de ter uma formação académica diversificada, dedicou grande parte da sua vida ao ensino especial e à escrita. Os seus livros, inspirados nas crianças e adultos que conheceu no decurso da sua actividade profissional, são bestsellers traduzidos para cerca de 30 línguas. Nesta colecção poderá encontrar os títulos A Criança Que não Queria Falar, A Menina Que nunca Chorava, Os Filhos do Afecto, Uma Criança em Perigo, Filhos do Abandono, A Força dos Afectos, A Prisão do Silêncio e A Luz de Um Novo Dia.
Li este livro em 3 dias.Comovi-me profundamente ao lê-lo. Como é possível uma
criança sofrer tanto, ser tão mal-amada e mal tratada por aqueles que lhe deram vida?
Encontra uma professora e entre elas cria-se uma amizade, uma tentativa pela parte
da professora em a compreender dando-lhe atenção.
Uma criança não devia vir ao mundo para ser maltratada, às vezes pior que um animal,
e apesar disso tudo e por  muito mal que ela acabe por fazer, há dentro dela
muita inteligência e um grau de carência enorme de ternura.
A Criança que não Queria Falar -Editorial Presença é um livro que nos comove e nos
interroga sobre o ser humano.Trouxe-o da Biblioteca mas vou comprá-lo, quero
lê-lo e relê-lo muitas mais vezes.
Irene Alves

5 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Nunca li nada da autora. Também neste momento não vou comprar. Desde o principio do ano já li 4 livros, estou a reler por imposição da literatura "O crime do Padre Amaro" e por imposição da Arte de Dizer os poemas de Jorge de Sena. E tenho para ler mais de uma dúzia que incluem nomes tão variados, como Hugo Valter Mãe, Lobo Antunes, Nícolas Spack e Umberto Eco. Não dá para novos compromissos.
Um abraço

Graça Sampaio disse...

Incrível, não é? Não sou capaz de ler situações dessas com crianças ou animais. Simplesmente não consigo...

Cidália Ferreira disse...

Deve ser lindo e interessante mesmo!

Beijos

Pedro Coimbra disse...

Registo a sugestão de leitura.

Tais Luso disse...

Vou procurar esse livro por aqui, achei muito interessante essa história! E como acontece.
Beijo, querida Irene!