segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Vandalização

Uma escultura monumental em forma de vagina criada pelo artista britânico Anish Kapoor, instalada no parque de Versalhes, em Paris, foi vandalizada pela segunda vez com inscrições antissemitas pintadas.
De acordo com a direção do monumento, visitado anualmente por 20 milhões de pessoas, a obra de Anish Kapoor com dez metros de comprimento, feita em aço e pesando várias toneladas, apresenta frases escritas a tinta branca.
“Rainha sacrificada, duas vezes ultrajada”, “SS Sacrifício Sangrento”, e “Cristo é rei em Versalhes” são alguns exemplos das mensagens deixadas na obra, intitulada “Dirty Corner”, que se encontra desde junho nos jardins, com outras da exposição do artista de 61 anos, de origem indiana.
A escultura causou polémica logo na inauguração a 09 de junho, quando Kapoor admitiu as conotações sexuais evidentes da peça, e foi vandalizada pouco tempo depois.
Desta vez, François Hollande repudiou “firmemente” num comunicado a degradação de que a obra foi alvo, manifestando solidariedade para com o artista, defendendo a liberdade de expressão “nos lugares mais prestigiados do património de França”.
Por seu lado, Anish Kapoor já veio dizer que não quer que as inscrições sejam retiradas.
“Da primeira vez até achei que tinha sido bom porque a obra foi toda limpa, mas agora acho que devem ficar as inscrições porque acabam por fazer parte da minha obra”, diz o artista.
A obra vai ficar exposta no parque  de Versalhes, tal coo as outras, até Novembro.

fonte: ZAP. aeiou

3 comentários:

Mari-Pi-R disse...

Es verdaderamente una pena que puedan destrozar obras, sean cuales sean, todas obra es un arte de quien la ha creado.
Un abrazo.

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Não gostei do vandalismo.
Gostei do gesto do Artista - Deixem ficar as frases pintadas. Ficam a fazer parte da obra. Este é um gesto de grande nobreza que eu muito admiro.

Gumer Paz disse...

Olá Irene. Eu sei que o trabalho de Anish Kapoor e, finalmente, os vândalos que você vai fazer um favor e atrocidades farão parte do trabalho do artista. Sim senhor!
Muitos beijos Irene :)