domingo, 29 de novembro de 2015

(Cedido pela minha amiga brasileira MALU)

Amar a sombra, a penumbra
correr janelas e véus.
Saber que nada é verdade.
Dizer amor ao deserto
abraçar quem nos ignora
dormir com quem não nos vê
mas precisar do calor
de quem nunca nos encontra.
Natércia Freire

6 comentários:

Ricardo- águialivre disse...

Boa tarde
Poético. Lindo demais
.
Feliz Domingo

Elvira Carvalho disse...

Gostei.
Um abraço e bom domingo

Cidália Ferreira disse...

Amei!

Beijos, bom domingo
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Olinda Melo disse...


Palavras misteriosas que contêm um mundo
de significados.É interessante como nessa
construção o poeta se dá e se completa.

Bj
Olinda

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Uma sombra muito desejada.
Amei este poema.

Graça Pires disse...

Gostei muito do poema da Malu.
Um beijo.