sexta-feira, 8 de outubro de 2021

O Comité Norueguês do Nobel laureou Maria Ressa e Dmitry Muratov "pelos seus esforços para salvaguardar a liberdade de expressão, que é uma condição prévia para a democracia e uma paz duradoura".

Maria Ressa e Dmitry Muratov são o Prémio Nobel da Paz 2021, anunciou o Comité Norueguês do Nobel, esta sexta-feira, durante a conferência de imprensa transmitida online. A edição deste ano do prémio tinha 329 nomeados.

Os jornalistas, que lutam pela liberdade de expressão nas Filipinas e na Rússia, foram premiados “pelos seus esforços na salvaguarda da liberdade de expressão, que é uma condição imprescindível para a democracia e para a paz duradoura”.

Os dois jornalistas são representantes "de todos os jornalistas que defendem este ideal num mundo em que a democracia e a liberdade de imprensa enfrentam condições cada vez mais adversas", afirmou a presidente Comité Nobel Norueguês, Berit Reiss-Andersen.

"Sem liberdade de expressão e liberdade de imprensa, será difícil promover com sucesso a fraternidade entre nações, o desarmamento e uma ordem mundial melhor para ter sucesso no nosso tempo. A atribuição deste ano do Prémio Nobel da Paz está, por isso, firmemente ancorada nas disposições da vontade de Alfred Nobel", acrescentou.

Maria Ressa e Dmitry Muratov procuram destacar a importância de proteger e defender estes direitos fundamentais.

3 comentários:

Graça Pires disse...

Gostei muito que o Nobel da Paz tivesse sido atribuído a jornalistas que lutam pela liberdade de expressão nos seus países e tantas vezes com perigo de vida.
Uma boa semana com muita saúde.
Um beijo.

Duarte disse...

Bem merecido. É o único prémio que se entrega em Oslo.
Um grande abraço nosso.

" R y k @ r d o " disse...

Quem luta por algo, neste caso, pela liberdade da palavra/expressão, merece todo e qualquer melhor prémio do mundo.
.
Saudações poéticas.
.
Pensamentos e Devaneios Poéticos
.